Buscar
  • Luiz Vieira

Secretaria Municipal de Turismo de São Paulo apresenta o espetáculo “Alguma Coisa Acontece...”

Temporada com nove episódios será exibida pelo Youtube diariamente de 15 a 23 de dezembro. Cada apresentação conta com a participação especial de uma atriz ou ator veteranos que fazem parte da história do teatro de São Paulo

Foto: Altair Buzelli.


De 15 a 23 de dezembro, os atores Gabrielle Araújo, Francine Souza, Filipe Celestino e Paulo Arcuri estarão ao vivo em lugares icônicos de São Paulo, como Vale do Anhangabaú, o alto do edifício Martinelli, a esquina da Ipiranga com a São João e o vão do MASP.


O espetáculo Alguma Coisa Acontece... é uma homenagem à São Paulo e aos artistas que compõem a cena teatral da cidade. Cada episódio conta com a participação em vídeo de um veterano: Clarisse Abujamra, Dirce Thomaz, Eduardo Silva, Esther Antunes, João Acaiabe, Miriam Mehler, Pascoal da Conceição, Renato Borghi e José Celso Martinez Corrêa.


Com idealização de Flavio Barollo, Gabrielle Araújo e Luiz Fernando Marques [Lubi], direção de Luiz Fernando Marques [Lubi] e dramaturgias de Ave Terrena, Dione Carlos e Verônica Gentilin, os nove episódios serão exibidos ao vivo (confira programação abaixo) e ficam disponíveis no canal para quem não conseguir assistir.


“Alguma Coisa Acontece...”, pelos idealizadores Flavio Barollo, Gabrielle Araújo e Luiz Fernando Marques [Lubi]


“Em cena, a nossa paisagem é o Vale do Anhangabaú, o alto do edifício Martinelli, a esquina da Ipiranga com a São João, mas também será cada bairro, cada lar, cada quadradinho que esta rede for capaz de conectar. Atores, atrizes e público terão um encontro único, num bate-papo aberto na qual suas histórias serão compartilhadas e anexadas à vida-obra de um grande e querido artista do teatro paulistano. Os textos foram escritos por três dramaturgas, que olham para ontem com a mira no amanhã usando a tecnologia virtual para gerar um momento de concreta poesia.


Sabemos que 2020 foi um ano do avesso do avesso e que precisamos, mais do que nunca, sermos mutantes. Então será neste híbrido de teatro, cinema e chat que vamos estabelecer uma conexão entre passado e futuro capaz de erguer coisas belas, afinal esse é nosso site à nossa cidade - São Paulo, mas pode renomear por Sampa, SP, Sampã, Pan-América de África utópica, não importa, somos parte deste grande sistema, desta malha feita de Wi-Fi e Garoa que nos faz ter a certeza de que quando estamos conectados na força do presente: Alguma coisa acontece”.


FICHA TÉCNICA

Idealização: Flavio Barollo, Gabrielle Araújo e Luiz Fernando Marques [Lubi]

Direção: Luiz Fernando Marques [Lubi]

Dramaturgas: Ave Terrena, Dione Carlos e Verônica Gentilin

Videoarte e Plataforma ao Vivo: Flávio Barollo

Elenco Ao Vivo: Gabrielle Araújo, Francine Souza, Filipe Celestino e Paulo Arcuri

Participações Especiais: Clarisse Abujamra, Dirce Thomaz, Eduardo Silva, Esther Antunes, João Acaiabe, Miriam Mehler, Pascoal da Conceição, Renato Borghi e José Celso Martinez Corrêa

Trilha Sonora: Gustavo Sarzi

Coordenação de Produção: Mônica Vasconcellos

Produção Executiva: Gabrielle Araújo

Mídias Sociais: Vox Baccai

Produção: Caboclas Produções


SINOPSES E HORÁRIOS


Episódio 01

Chegada em Sampã

Um jovem ator recém-chegado do interior, assiste ao espetáculo Roda Viva no Theatro

Municipal e não consegue mais sair, ficando ali sozinho. Ele percebe que há um senhor

sentado na plateia, que é quem lhe dá a pista para conseguir sair: é preciso encontrar a

tragicomediorgia. Perambulando pelos bastidores, galerias e corredores, ele consegue enfim achar uma janela, de onde consegue mirar o Vale do Anhangabaú. Ao perceber que há um rio por debaixo do cimento, e consegue juntar as peças do quebra cabeça e entender que o Teatro Oficina foi projetado por Lina Bardi apontando para esse mesmo rio.

Participação Especial: Zé Celso

Exibição: 15/12/2020 às 18h00


Episódio 02

O Sonho

Um jovem trabalhador de aplicativo busca uma encomenda na famosa rua 25 de março. Ao chegar no local indicado, depara-se com uma surpresa: ele é o destinatário e precisa descobrir o que há naquele pacote.

Participação Especial: Pascoal da Conceição

Exibição: 16/12/2020 às 18h00


Episódio 03

Jantar 360º

Uma mulher atrasada para um jantar misterioso passa sua vida à limpo durante esse trajeto. Tentando entender qual sua participação perante a sociedade e colocando em cheque as escolhas que fez, ela disseca a cidade e seu coração juntos como quem mistura biologia e arte no caldeirão da vida.

Participação Especial: Eduardo Silva

Exibição: 17/12/2020 às 18h00


Episódio 04

O ninho do presépio

Entre lembranças de pessoas vivas, mortas e que ainda estão por vir, dois transeuntes revivem a arquitetura do passado em contraste com a atual, explorando os espaços do presente e da memória na Praça Roosevelt. Nesse tempo espiralar, buscam um ninho de beija-flor que servia como manjedoura num presépio antigo, fruto de muitas inspirações. Correndo pela praça, de skate e patins, buscando as áreas verdes onde hoje é só concreto, invocam as travestis pioneiras que começaram a movimentação nas artes em São Paulo.

Participação Especial: Esther Antunes

Exibição: 18/12/2020 às 18h00


Episódio 05

O tesouro

Uma jovem observa as luzes de São Paulo através de um telescópio. Ela precisa alcançar as luzes, mesmo que isto implique andar por séculos.

Participação Especial: Dirce Thomaz

Exibição: 19/12/2020 às 16h00


Episódio 06

O que vem no peito de Joana

Uma mulher acorda com um fio saindo seu peito e um mapa nas mãos. No mapa, símbolos e palavras que ela não compreende por não saber a qual nacionalidade pertence. Essa mulher, por não compreender o mapa, decide seguir esse fio pra ver onde seu peito a levará.

Participação Especial: Clarisse Abujamra

Exibição: 20/12/2020 às 16h00

Episódio 07

Bebê pronto, bebê sentado!

Uma moça grávida percorre um caminho completamente guiada pela sua barriga. Como uma grande bússola, sua barriga a conduz para um lugar onde ela poderá ver toda sua vida por um novo prisma

Participação Especial: Miriam Mehler

Exibição: 21/12/2020 às 18h00

Episódio 08

O espelho de lágrimas

Nas ruas do Centro Antigo, um rapaz procura um espelho com o qual consiga se identificar.

Transitando pelas ruas estreitas, lembra-se de memórias confusas sobre protestos e repressão da cavalaria durante a ditadura militar. Ao chegar no Largo São Francisco, evoca Luís Gama, patrono da abolição da escravidão no Brasil, e reflete sobre a história de resistência do povo negro na diáspora. Escondido atrás de uma estátua, então, ele descobre a moldura de um espelho, e recebe um presente de um avô muito especial. Será que ele vai conseguir se ver refletido

Participação Especial: João Acaiabe

Exibição: 22/12/2020 às 18h00

Episódio 09

Esquinas Sonoras

São Paulo, verão de 2021. Um jovem de sobretudo importado e óculos escuros tem alucinações musicais após encontrar uma caixa em uma esquina de São Paulo.

Participação Especial: Renato Borghi

Exibição: 23/12/2020 às 18h00


A programação completa do Festival de Natal está nas redes sociais da Prefeitura:

Youtube: https://www.youtube.com/turismoprefsp

Facebook: www.facebook.com/turismoprefsp


CURRÍCULOS

Luiz Fernando Marques (Lubi)

Nascido em Santos, integra o Grupo XIX de Teatro, desde 2000, sendo diretor e co-criador dos espetáculos: Hysteria; Hygiene; Arrufos; Marcha para Zenturo; Nada aconteceu Tudo acontece Tudo está acontecendo; Teorema 21; Intervenção Dalloway; Hoje o escuro vai esperar para que possamos conversar e Estrada do Sul (em parceria com Teatro Dell´argine – Itália). Fora do XIX, criou e dirigiu as peças Negrinha com Sara Antunes; Dias raros, com o Teatro da Travessia; Festa de Separação: um documentário cênico com Janaina Leite e Fepa; Dizer e não pedir segredo; Orgia ou de como os corpos podem substituir as ideias; Desmesura e Kuradorya (Digital) com Teatro Kunyn; Aquilo que meu olhar guardou pra você e Apenas o fim do Mundo com Magiluth (PE); Inservíveis com Usina de Arte (AC); Sobre a Areia e o Vento com Atores a Deriva e Bololô(RN); Mesas Falam e se Movem com Confraria de Teatro(ES), De tudo aquilo que eu fiz apenas para te dizer adeus com Cia Depois do fim (ELT); Cenas para usar luvas com Grupo 6dois(EAD). Bruto com Núcleo Experimental do SESI; poema suspenso para uma cidade em queda e Poema em Queda-LIVE (Digital) com a Cia Mungunzá; Entre Vãos com a Digna Cia. Hiroshima meu amor – cinema falado com Leticia Sabatella e Paulo Celestino. Vênus ex libris com Ana Carolina Godoy e Rafael Steinhauser; Lampedusa com Cia do Instante; Manifesto Transpofágico com Renata Carvalho. Num total de 29 peças. Parte deste repertório já foi encenado em mais de 120 cidades no Brasil e 30 no exterior (Argentina, Armênia, Cabo Verde, Cuba, França, Guiana Francesa, Inglaterra, Itália, México, Portugal, Rússia e Uruguai) sendo feitas em espanhol, francês, inglês e italiano. Ao longo de sua trajetória acumula entre prêmios e indicações mais de 20 menções nos principais prêmios do país : Shell, APCA, Cooperativa Paulista de Teatro, Bravo!, Qualidade Brasil, Prêmio Governador do Estado de São Paulo entre outros. Em 2016 fez a direção cênica do show Remonta de Liniker e os Caramelows. Desde 2008, é orientador do Núcleo de Direção da Escola Livre de Teatro de Santo André.


Flávio Barollo

Vídeo artista. Artivista no coletivo (se)cura humana. Ator pelo Indac. Direção teatral pela ESA Célia Helena, sob orientação de Antônio Araújo. Estudos da performance na PUC e USP. Vídeos, tecnologia e programação.

* Direção audiovisual do filme “Tá Tudo Treta e a Poesia Rege” da Cia do Tijolo (2020); * Videoarte e plataforma ao vivo do ExReality, reality show da ExCompanhia de Teatro; * Videoarte e Plataforma ao vivo para o experimento digital em 3 episódios Poema em Queda-Live da Cia Mungunzá de Teatro; * Videoarte para leitura dramática de Tybyra, de Juão Nyn; *Videoarte para leitura de Refúgio, de Alexandre Dal Farra; * Videoarte e ao vivo para O Desmonte de Amarildo Felix, com Vitor Placca; * VJ online e Live Streaming para Mungunzá Digital_ projetos “Lives Musicais”; * Vídeos e cenografia para espetáculo JAZ, com Sofia Boito, direção de Joana Dória (2019); * vídeos para espetáculo Portar(ia) Silêncio, de João Junior (2019); * vídeos no espetáculo Epidemia Prata, da Cia Mungunzá de Teatro, direção de Georgette Fadel (2018); * ator na série Assédio, TV Globo, como Gregório (2019); * Radio Convescote, da Digna Companhia, com vídeo, instalações, artes visuais e performances (2017); * Vídeo projeção para o Coletivo Estopô Balaio, para espetáculo Carta 1 – Promessa de Mãe, direção de João Junior. (2017/18); * Artista de Reuso, instalação performática, apresentado no Centro da Terra, Instituto Tomie Othake e Galeria Temporária (2017/18); * vídeo em cena de O Avesso do Claustro, da Cia. do Tijolo, sobre o legado de Dom Hélder Câmara. Com direção de Dinho Lima Flor e Rodrigo Mercadante (2016-18); * direção e montagem do documentário transmídia livecinema #BrasilDeTijolo (2015-18), a partir da turnê da Cia. do Tijolo pelo Brasil; * vídeo e performance Piscina Regan no Deserto, realizada originalmente na represa do Sistema Cantareira (2015), passando ainda por festivais internacionais como PerFoArtNet 2016 (Bogotá, Colômbia); Stoff - Stockholm Fringe Festival 2016 (Estocolmo, Suécia); East Side Gallery 2016 (Berlim, Alemanha); * ator no espetáculo/musical de rua Ópera Urbe - Peste Contemporânea (2015-18), em pleno Largo da Batata, escrito por Carlos Zimbher e direção de Rogério Tarifa, vencedor do 2ª Edição do Prêmio Zé Renato de Teatro; * performance Mergulho no Rio Tietê (2015), realizando dois mergulhos no quinto rio mais poluído do mundo, o Rio Tieté, em São Paulo.


Gabrielle Araújo

Gabrielle Araújo é atriz, radialista e produtora cultural. Como atriz é formada pelo SENAC, pelo Núcleo Experimental de Artes Cênicas do SESI e pelo NAC – Núcleo de Artes Cênicas, coordenado pelo ator e diretor Lee Taylor. É também formada em Comunicação Social e é Especialista em Fundamentos da Cultura e das Artes.

Trabalha como atriz há 15 anos com experiência em projetos teatrais e audiovisuais, como os recentes espetáculos “Sentença” dir. Maria Fernanda Batalha, “Inimigo Oculto” dir. Andrea Bordadagua e Rodrigo França e “Ontem eu te amo...” dir. Leandro D’Errico. No audiovisual atuou nos curtas “Dreamind” dir. Gabriel Mussolini, “Precipício” dir. Mateus Rosa e “Circuito Fechado” de Nicol Alexander. Na sua carreira como atriz, também destaca-se o seu trabalho como locutora, emprestando sua voz em campanhas para diversas marcas e instituições.

Como criativa de projetos, curadora e produtora cultural, teve passagens por diversos projetos e instituições como TV Cultura, MIS – Museu da Imagem e do Som, Brazucah Produções e Secretaria Municipal de Cultura.

É sócia-criativa da Caboclas Produções, produtora que cria, desenvolve e produz projetos culturais com foco nas artes cênicas, performance, literatura e artes integradas.