Buscar
  • Luiz Vieira

Premiado em Gramado, filme 30 Anos Blues faz pré-estreia no digital e drive-in

Longa de Andradina Azevedo e Dida Andrade ficará disponível de 20 a 23/8 para aluguel a R$ 9,90 no Belas Artes À La Carte, com renda revertida à manutenção do histórico Cine Bijou. Dia 3/9 filme passa no Belas Artes Drive-in no Memorial às 18h.

O filme 30 Anos Blues, de Andradina Azevedo e Dida Andrade, faz pré-estreia digital pelo streaming Belas Artes À La Carte entre 20 e 23 de agosto. O longa, segundo da dupla de cineastas paulistas, venceu o Kikito Especial do Júri no 47º Festival de Cinema de Gramado, em 2019. Protagonizado pelos diretores, a produção revela conflitos geracionais em um mundo de constante ebulição. A produção também será exibida no Belas Artes Drive-in no Memorial da América Latina, no dia 3 de setembro, quinta-feira, às 18h.


Além de Andradina Azevedo e Dida Andrade, 30 Anos Blues traz no elenco Carol Melgaço, Julia Ianina, Adriano Toloza, Bruna Yamatogue, Fábio Penna, Danielle Rosa, Pedro Lopes, André Lu e Mariana Hein. A produção ainda conta com participações especiais da atriz Claudia Alencar, do ator argentino Juan Manuel Tellategui e do teatrólogo Marco Antônio Braz.


“O aluguel do filme será R$ 9,90 e vamos reverter toda renda para manutenção do Cine Bijou, sala histórica de São Paulo sob gestão de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, do Satyros, que reabriria este ano, não fosse a pandemia”, contam os diretores. Eles tomaram a decisão solidária devido à crise que afeta o setor cinematográfico e cultural como um todo.

“A paixão de todos que batalham pela cultura, sobretudo neste momento, nos levou a fazer esta ação. O Cine Bijou formou artistas, críticos e cinéfilos. Sabemos que os custos de manter a sala fechada são altos e queremos ajudar”, afirmam.

30 Anos Blues é uma coprodução da MyMama, de Mayra Faour Auad e Gabrielle Auad, e da Filmes da Lata, de Andradina Azevedo e Dida Andrade.  Trata-se de um filme geracional que mostra dois personagens que encaram as instabilidades dos 30 anos. “Quem está solteiro quer casar e quem está casado quer ficar solteiro. Há uma proposta Quixotesca pelos personagens terem envelhecido, por terem crescido em um mundo antes da internet no celular e com uma juventude menos participativa e militante. Os desejos dos protagonistas viram angústias, por terem nascido num mundo patriarcal, repressor e reprimido”, afirmam os diretores.


Ao premiar 30 Anos Blues, o júri de Gramado pontuou: “A comissão julgadora decidiu atribuir Prêmio Especial pelo provocante filme geracional de dois talentos inquietos, por sua musicalidade interna e por sua dialética formal entre liberdade e controle, que explora na cidade de São Paulo uma tradição inaugurada por John Cassavetes e Jonas Mekas”. Sobre as escolhas da direção, os cineastas explicam: “Optamos por uma linguagem estética moderna, mas sem perder o roteiro e a atuação em virtuosismos que afastassem o público. Vemos esta história como uma crônica. Conhecemos esses personagens e os lugares que eles frequentam”. Eles ainda adiantam o futuro de 30 Anos Blues após a pré-estreia digital. “O próximo passo do filme será passar na tela grande do Brasil e do mundo assim que isso for possível. Recentemente, a empresa francesa Wide, que representa jovens revelações até filmes protagonizados por John Malkovich, acreditou no poder do longa e agenciará 30 Anos Blues no mercado internacional”.


30 Anos Blues é o segundo longa da dupla formada por Andradina Azevedo e Dida Andrade. Eles fizeram elogiada estreia em A Bruta Flor do Querer, filme vencedor dos Kikitos de Melhor Direção e Melhor Fotografia no 41º Festival de Cinema de Gramado, ficando entre os mais jovens diretores premiados na história do evento, no qual foram apontados como revelação do cinema nacional. No momento, eles trabalham no roteiro de seu terceiro longa, O Herdeiro ou A Bíblia Segundo Darwin. “Estamos buscando uma coprodução Brasil/Estados Unidos com a empresa A24, que é a produtora norte-americana de filmes independentes como Moonlight e Anos 90”.


Serviço:

Pré estreia 30 ANOS BLUES de Andradina Azevedo e Dida Andrade

(BRA, longa, 90 min)

Streaming: de 20 a 23/8/2020 no Belas Artes à La Carte - https://www.belasartesalacarte.com.br/ Valor do aluguel: R$ 9,90 (renda revertida à manutenção do Cine Bijou, sala histórica gerida pelo Satyros).


Drive-in

Dia 3 de setembro, às 18h, no Belas Artes Drive-in no Memorial da América Latina https://www.cinebelasartes.com.br/drive-in/

Ficha técnica: 30 ANOS BLUES

Produtora: MyMama e Filmes da Lata.

Produção Executiva: Mayra Faour Auad, Gabrielle Auad, Andradina Azevedo e Dida Andrade.

Direção: Andradina Azevedo e Dida Andrade.

Roteiro: Andradina Azevedo, Dida Andrade e João Segall.

Direção de Fotografia: Gallo Rivas.

Direção de Arte: Karla Salvoni e Marilia Franco.

Trilha Sonora Original: Flávio Iannuzzi.

Montagem: Andradina Azevedo, Dida Andrade e Pedro Andreta.

Desenho de Som: AudioInk.


Elenco: Andradina Azevedo, Dida Andrade, Julia Ianina, Carol Melgaço, Claudia Alencar, Adriano Toloza, Bruna Yamatogue, Fábio Penna, Pedro Lopes, Danielle Rosa, Juan Manuel Tellategui, Marco Antônio Braz, Larissa Korolkovas, Ruy Prado, Marco Watanabe, Ligia Gabarra, Diana Motta, Ricardo Dantas, Patrícia Borin, Mariana Hein, Fabricio Gallinucci, André Lu, Gustavo Alves Pereira, Julio Vargas, Erika Suzuki, Helena de Moraes Pinto (Baby), Marcio Santos, Daiane Brito, Hanna Perez, Julia Azevedo, Ivan Arcushin, Bruno Perazio, Bruna Pinheiro, Dom Capelari, Lara Martins, Beatriz Ferreira, Alex de Jesus, Camila Araújo, Beto Marques, Beto Chuquer, Carol Ueno, Tiago Froes, Rafael Carvalho, Matheus Saboya, Jade Buick, Cris Tex, Priscila Lima, Caco Ferreira, Marina Azevedo, Inês Andrade, Carlos Rivas, Irene Andrade, Meera Menegon e Karina Catalán Sánchez.