Buscar
  • Responder Fazendo

Mário de Andrade Desce aos Infernos, de Pascoal da Conceição, é uma declaração de amor ao gênio

No dia 9 de outubro a peça estreia virtualmente, com temporada online por espaços culturais da cidade de São Paulo; uma websérie derivada do espetáculo também faz parte do projeto, que aquece as comemorações pelos 100 anos pela Semana de Arte Moderna de 1922.

Mário de Andrade Desce aos Infernos - Foto: Jennifer Glass


Depois de fazer uma temporada de trabalho de mesa - em que o artista busca elementos para compor um espetáculo de teatro - o ator Pascoal da Conceição estreia "Mário de Andrade Desce aos Infernos" no dia 9 de outubro, coincidentemente o mesmo dia do aniversário do ator e do escritor. Nessa mesma data, tem início a websérie, feita a partir de episódios do espetáculo, com partes comentadas por Pascoal, exibidos, entre 10 e 22 de outubro, em duas sessões diárias, às 11h e às 21h.

As apresentações serão online e gratuitas, nas redes de Teatros Municipais de São Paulo - Arthur Azevedo (dias 9 e 10/10), Alfredo Mesquita (15, 16, 17/10), Cacilda Becker (22, 23 e 24/10), João Caetano (29, 30 e 31/10), Paulo Eiró (5, 6 e 7/11). A websérie estará disponível no canal do Youtube do ator.

Mário de Andrade Desce aos Infernos - Foto: Jennifer Glass

Pascoal da Conceição é um ator múltiplo, tendo interpretado muitos papéis marcantes em sua trajetória de quase 50 anos de teatro, tv e cinema, a serem comemorados em 2022. Ator, dublador, produtor teatral e diretor brasileiro, é bastante amado como Dr. Abobrinha da série "Castelo Rá-Tim-Bum", e é também reconhecido nas artes na interpretação do poeta e romancista Mário de Andrade tanto na televisão (como nas minisséries "Um Só Coração" e "JK") como em outras centenas de performances.

Este projeto foi contemplado pela 12ª Edição do Prêmio Zé Renato, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, e filmado no Teatro Oficina, pela TV Uzyna, com direção de Ciça Lucchesi, Igor Marotti e Pascoal da Conceição.

Pascoal da Conceição e Mário de Andrade

A data de estreia da temporada virtual não foi escolhida à toa. Mário de Andrade nasceu em 9 de outubro de 1893. Pascoal da Conceição nasceu também no mesmo dia, mas 60 anos depois (em 1953). O título da peça foi extraído do poema póstumo do amigo Carlos Drummond de Andrade, Mário de Andrade Desce aos Infernos, publicado no livro "A Rosa do Povo", de 1945.

[trecho]

"O meu amigo era tão | de tal modo extraordinário, | cabia numa só carta, | esperava-me na esquina, | e já um poste depois | ia descendo o Amazonas, | tinha coletes de música, | entre cantares de amigo | pairava na renda fina | dos Sete Saltos, | na serrania mineira, | no mangue , no seringal, | nos mais diversos brasis, | e para além dos brasis, | nas regiões inventadas, | países a que aspiramos, | fantásticos, | mas certos, inelutáveis, | terra de João invencível, | a rosa do povo aberta"

Gravado no Teatro Oficina (em público) na peça, Pascoal interpreta textos originais de Mário em poesia, prosa, conferência e crônica. Assim, ele compartilha com o público,sua experiência em 'incorporar' Mário - ele interpretou o escritor não só no teatro e na minissérie "Um só coração", da TV Globo (2004), desta vez para uma plateia de teatro.

Ele se faz presente também em manifestações (como ocupações e protestos em favor da cultura e em eventos, como o aniversário de São Paulo e o Grande Cortejo do Patrimônio. Com as lives o artista traz para a conversa mais vozes, que ampliam os diversos aspectos do modernismo e seus desdobramentos.

Dessa forma, ele inicia as comemorações do centenário da Semana de Arte Moderna de 1922. Um dos fatos históricos mais importantes do Brasil, aconteceu no Theatro Municipal de São Paulo, entre 13 e 18 de fevereiro de 1922, e contou com apresentações musicais, conferências, exposições e performances de artistas como Heitor Villa-Lobos, Oswald de Andrade, Di Cavalcanti e Menotti Del Picchia. Fortemente inspirados pelas vanguardas artísticas europeias, o evento renovou o ambiente artístico-cultural brasileiro, chocando parte da sociedade brasileira da época e trazendo novas visões e maneiras de se fazer arte.

"EU SOU UM DEPARTAMENTO DE CULTURA" M.A.

A obra de Mário de Andrade é bastante vasta e plural. Inclui cartas, crônicas, poemas, críticas, trabalhos sobre música folclórica brasileira e teoria musical, entre outros tantos escritos, um grande acervo hoje sob os cuidados do IEB-USP (Instituto de Estudos Brasileiros). Além disso, atuou no governo de São Paulo, fundando equipamentos culturais e grupos artísticos e foi diretor fundador do primeiro Departamento de Cultura de São Paulo.

Seu livro de poemas inspirado pela cidade de São Paulo, "Paulicéia Desvairada", inaugurou o gênero de poesia moderna no Brasil, com uso de versos livres e expressões tipicamente paulistas. A estreia aconteceu nas escadarias do Theatro Municipal de São Paulo, quando Mário escandalosamente declamou alguns versos do livro, causando reações inflamadas na tradicional burguesia paulistana.

Na rapsódia "Macunaíma, O herói sem nenhum caráter" - em que o índio preto saído do mato virgem para o mundo de bichos da cidade de São Paulo e entre fábulas, dialetos, costumes e trejeitos, busca seu amuleto de sorte, seu muiraquitã, - Mário esgarçou com toda liberdade o experimento formal e linguístico, incorporando elementos de realismo fantástico e de seus conhecimentos adquiridos viajando pelo país.

Em Mário de Andrade Desce aos Infernos um pouco destas obras aparecem. Caso do poema "Meditação sobre o Tietê", de 330 versos, o último escrito pelo poeta. Um texto denso, amado e criticado, que é um marco da carreira de Mário, com referências ao meio ambiente, à política, ao seu tempo, uma 'lágrima apenas', como ele diz, uma comovente declaração de amor às águas do rio Tietê e a cidade que o rio atravessa.

Mário de Andrade Desce aos Infernos - Foto: Jennifer Glass


SEMANA DE 22 - CEM ANOS: A CONFERÊNCIA

Além de participar das comemorações pelo centenário da semana de 22, o projeto Mário de Andrade Desce aos Infernos tem uma outra etapa, que se relaciona com o evento histórico.

Na última semana de outubro acontece uma OFICINA DE LEITURA DA CONFERÊNCIA O MOVIMENTO MODERNISTA, apresentada por Mário de Andrade em 1942, na biblioteca do Ministério das Relações Exteriores, no Rio de Janeiro, em celebração dos vinte anos da Semana de Arte Moderna.


Serão cinco oficinas para leitura da conferência nos dias 25, 26, 27, 28 e 29 de outubro, de segunda a sexta-feira, das 16 às 18 horas, coordenadas por Pascoal da Conceição, atores e convidados. Participarão, respectivamente, os grupos Os Crespos, Cia Próxima, Cia Dolores e Cia Refinaria. A finalização deste ciclo acontecerá com comentário crítico pelo Professor Doutor Marcos Antonio de Moraes.


FICHA TÉCNICA DO PROJETO

Pesquisa, Roteiro Dramatúrgico e Direção Artística: Pascoal da Conceição

Assistente de direção: Pedro Pina Furtado

Direção Musical: Ito Alves e Gui Calzavara

Elenco: Pascoal da Conceição

Participações: Natália Nery, Franz Granja, Arnaldo D'Ávila, Gui Calzavara e Ito Alves

Músicos: Gui Calzavara (Cordas e Sopros) e Ito Alves (Percussão)

Figurinos: Sonia Ushiyama Souto

Camareira: Cida Melo

Cenários: Marilia de Oliveira Cavalheiro

Maquiagem: Kael Studart

Trilha sonora original e efeitos: Marcelo Pellegrini

Desenho e operação de luz: Luana Della Crist

Coordenação técnica: Arnaldo D'ávila

Som direto: Paulo Seabra

Produção Executiva: Franz Granja

Assessoria de imprensa: Canal Aberto - Márcia Marques

Assistentes de Assessoria de Imprensa: Carol Zeferino e Daniele Valério

Mídias Sociais: Ventania Cultural

Assessoria jurídica: Veríssimo advogados

Direção de arte: Igor Marotti

Design gráfico: Cecilia Lucchesi

Produção audiovisual: Igor Marotti, Cecilia Lucchesi e Pascoal da Conceição

Edição, montagem e finalização: Igor Marotti, Cecilia Lucchesi e Pascoal da Conceição.

Assistente: Nicolau Gayotto da Conceição

Coordenação de produção: Bia Fonseca

Produção: Pascoal Da Conceição

Registro fotográfico: Jennifer Glass


Agradecimentos: Teatro Oficina, Anderson Puchetti, Carlos Augusto Calil, Lucia Gayotto, Professora Eliane, Márcia MDB, Isa Lotito, Marcelo Tupinambá, Deo Teixeira,Marcelo Drummond, Anderson Puchetti, Tony Reis, Sueli Camargo, I.E.B. Instituto de Estudos Brasileiros, Elisabete Ribas, Marcos Antonio de Moraes, Pedro Fragelli, Renato Borghi, Renata Carvalho, Oswaldo de Camargo, Lincon Antonio, Eliane Leite Alcantara Maltese, Márcia das Mercês Silva, Iza Infância Lotito, Os crespos, cia Próxima, Cia Dolores, Cia Refinaria e Marcos Antonio de Moraes.

Agradecimento especial a Gabrielle Araújo.

Serviço:

"Mário de Andrade Desce aos Infernos"

Com Pascoal da Conceição


Webserie em 09 capítulos

de 10 a 22 de outubro, às 11h e às 21h

em youtube.com/PascoaldaConceição1

grátis


Peça Mário de Andrade Desce aos Infernos

online

grátis


Calendário de apresentações:

Teatro Arthur Azevedo - 09 e 10 de outubro, Sábado às 21h e Domingo às 19h

Teatro Alfredo Mesquita - 15, 16 e 17 de outubro, Sexta e Sábado às 21h e Domingo às 19h

Teatro Cacilda Becker - 22, 23 e 24 de outubro, Sexta e Sábado às 21h e Domingo às 19h

Teatro João Caetano - 29, 30 e 31 de outubro, Sexta e Sábado às 21h e Domingo às 19h

Teatro Paulo Eiró - 05, 06 e 07 de novembro, Sexta e Sábado às 21h e Domingo às 19h

OFICINA DE LEITURA DA CONFERÊNCIA O MOVIMENTO MODERNISTA

25 de outubro de 2021, das 16 às 18 horas, com o grupo OS CRESPOS;

26 de outubro de 2021, das 16 às 18 horas, com a CIA PRÓXIMA;

27 de outubro de 2021, das 16 às 18 horas, com a CIA DOLORES;

28 de outubro de 2021, das 16 às 18 horas, com CIA REFINARIA;

29 de outubro de 2021, das 16 às 18 horas, COMENTARIOS CRÍTICOS DA CONFERÊNCIA, PELO PROFESSOR DOUTOR MARCOS ANTONIO DE MORAES.