Buscar
  • Responder Fazendo

Espetáculo Ladies Sing the Blues estreia dia 11 de dezembro na Biblioteca Mário de Andrade

O mote do projeto parte de um encontro fictício entre Billie Holiday, Elza Soares e Nina Simone.

Da esquerda para à direita Jessica Madona, Danuza Novaes e Jhenny Santine - Foto: Divulgação.


Como seria se Nina Simone, Billie Holiday e Elza Soares subissem juntas ao palco? Este encontro fictício foi o mote para a criação deste espetáculo, com direção de Jessica Madona e Savina João, que coloca as três mulheres no mesmo espaço cênico, ecoando em conjunto suas diásporas pessoais. Números musicais são intercalados com trechos narrativos, que recuperam as trajetórias de coragem dessas grandes artistas.


E o que as três mulheres têm em comum, além de serem três grandes artistas? Nina Simone, Billie Holiday e Elza Soares usaram suas vozes na denúncia da sistemática discriminação contra negros em sociedades estruturalmente racistas e fizeram de suas artes uma forma de resistência. A Carne, Strange Fruit e Mississipi Goddamn foram aclamadas e se tornaram hinos contra a violência racial que vitimava negros. Gravadas em momentos diferentes denunciaram práticas de segregação e atentados contra negros nos Estados Unidos e Brasil.


“A Carne”, composição de Seu Jorge, Marcelo Yuka e Ulisses Cappelletti gravada originalmente pelo grupo "Farofa Carioca" entrou para o repertório de Elza Soares em 2002, quando lançou o álbum “Do cóccix até o pescoço”, porém no espetáculo a música escolhida para representar um dos enfrentamentos do racismo foi Etnocopop, de Carlinhos Brown, que também está no álbum, e é uma crítica à violência perpetrada aos negros pelos policiais.


Composta em 1936 pelo professor universitário Abel Meeropol, Strange Fruit fala em três estrofes sobre os sangrentos linchamentos no sul dos Estados Unidos. Billie musicou o poema em 1939, gravou-o pela Commodore Records e o apresentou em Nova Iorque no mesmo ano.


Mississipi Goddamn escrita por Nina foi aclamada pelo movimento negro estadunidense e denuncia o atentado racista que matou quatro crianças negras numa igreja batista e reflete sobre a condição de ser uma mulher negra nos Estados Unidos.

Este é o quarto espetáculo da Coletiva 3 de nós. “Todos Te Amam Até Você Se Assumir Preta”, espetáculo anterior, levou aos palcos a atriz e performer Jessica Madona em solo que evidenciou um sistema estruturado em prol de um grupo (branquitude) e extermínio de outro (negritude) apontando a urgência de transformação desta estrutura, que silencia e estigmatiza corpos pretos.

Set list

Elza Soares

Banho

Etnocopop

Desabafo

A mulher do fim do mundo

Nina Simone

Mississipi Goddamn

Feeling Good

I Put a Spell on You

Ain’t Got No / I Got Life

Billie Holiday

Solitude

All of me

Strange Fruit

Fine and Mellow


Serviço:

Ladies Sing The Blues

Dias 11, 12 e 13 de dezembro (Sab/Dom/Seg), às 19h00, na Biblioteca Mário de Andrade

Grátis

Acesso para portadores de necessidades especiais

Capacidade reduzida - 60 lugares

Mesmo sendo presencial é necessário retirar antecipadamente os ingressos pelo Sympla

Biblioteca Mário de Andrade

Rua da Consolação, 94 - República

Classificação indicativa: 14 anos

Duração: 60 minutos

Ingressos: Biblioteca Mário de Andrade


Ficha técnica:

Direção geral: Jessica Madona e Savina João

Assistente de Direção: Larissa Mauro

Dramaturgia: Larissa Mauro e Jessica Madona

Colaboração dramatúrgica: Savina João

Elenco:

Danuza Novaes

Jessica Madona

Jhenny Santine

Lua Bernardo

Rayra Maciel

Direção musical: Rayra Maciel

Figurino: Jessica Madona

Cenografia: Savina João

Assessoria de imprena: Adriana Monteiro (Ofício das letras)

Ação Cultural da Biblioteca Mário de Andrade

Supervisão: Bia Mantovani

Equipe de curadoria: Alvaro Machado (teatro) e Carol Rodrigues (literatura e performance)

Assistente de produção: Murilo Vieira

Equipe técnica: Silas Rocha e Samuel Cruz

Estagiária: Manoela Fagundes

Jovem Monitor Cultural: Igor Macedo

Biblioteca Mário de Andrade

Direção: Jurandy Valença

Supervisões

Acervo: Ana Prado

Ação Cultural: Bia Mantovani

Atendimento: Rafael Reche

Planejamento e Gestão: Bruna Pimentel

Comunicação e Coordenação: Bernardo Ceccantini

Seguindo as orientações do Decreto 60.488, de 27 de agosto de 2021, a Mário recomenda a apresentação do comprovante de vacinação contra a Covid-19 aos que visitam as exposições ou assistem aos espetáculos teatrais da biblioteca.

Durante toda a permanência em nossos espaços, é obrigatória a utilização de máscara cobrindo nariz e boca. Além disso, os visitantes devem respeitar o distanciamento social e higienizar sempre que possível as mãos com álcool em gel.

A temperatura dos visitantes é medida no momento de entrada à biblioteca. Aqueles que estiverem com temperatura corporal acima de 37,5° ou com sintomas de gripe/resfriado são impedidos de acessar os edifícios sede e anexo, recebendo orientações para buscar os devidos cuidados médicos.