Buscar
  • Luiz Vieira

"Aos Professores Online" discute os efeitos da pandemia na vida dos professores da rede pública

No ano do centenário de Paulo Freire, Núcleo Barro 3 realiza microssérie que faz uma ode ao trabalho de educadores

Foto: Diego Oliveira


Antes do mundo ser tomado pelo coronavírus, o Núcleo Barro 3 esperava estrear em 2020 o espetáculo Aos professores, aos miseráveis, a Paulo, adeus, que traz uma professora em um Brasil áspero e distópico projetado em 2030. O solo com atuação de Rosana Pimenta e direção de Lucas França foi interrompido. Assim como foram interrompidas vidas e outras histórias pelo mundo. Um ano após o início de uma quarentena sem fim, o coletivo estreia um novo trabalho que partiu da mesma espinha do espetáculo teatral, convocando à discussão sobre educação para a realidade dos dias de hoje, misturando documentário e ficção.


Aos Professores ONLINE é um segundo resultado dessa pesquisa e traz uma microssérie composta por três episódios que serão exibidos a partir de 28 de abril pelo Instagram e YouTube do grupo.


"A interrupção do processo de criação foi abrupta e inequívocamente transformada em materialidade de criação. Não seria possível seguir sem que refletíssemos criativamente o que esse momento causou não apenas em nós, mas também em professoras e professores, especialmente da rede pública", afirma Rosana Pimenta.

Assim, o coletivo não abandonou o processo de criação do espetáculo, mas se propôs a investigar os desdobramentos do confinamento em face à educação remota, precária e insegura.


Em cena, o público verá uma discussão sobre temas como o medo da volta à escola, do vírus, da fome e a resistência em prol do ofício de educar. Além da atuação de Rosana Pimenta, os vídeos também trazem depoimentos de professores. A atriz dá vida a uma professora de português confinada e obrigada a lecionar em precarizados meios digitais, com a ameaça constante do retorno presencial, e se vê desafiada pelo encarceramento do corpo e do pensamento crítico.

O coletivo considera o resultado uma ode aos professores e também ao trabalho de Paulo Freire, que guiou a pesquisa desde o início. "Das coincidências da vida: iríamos estrear o espetáculo no ano passado e acabou não acontecendo. Agora, além de apresentar esse experimento que traz uma fricção entre o audiovisual e a linguagem teatral, devemos estrear Aos professores, aos miseráveis, a Paulo, adeus em setembro, no mês em que Paulo Freire faria 100 anos", conta Rosana.

Os vídeos de Aos Professores Online serão exibidos pelo Instagram e YouTube do grupo nos dias 28, 29 e 30 de abril, às 12 h e às 20 h. Em cada dia, um dos episódios: Bilhete ao Vazio; Bilhete à Ignorância; e Bilhete à Fortaleza.

Foto: Diego Oliveira

Sobre o Núcleo Barro 3

O Núcleo Barro 3 é um coletivo teatral formado em 2016 a partir do encontro de artistas egressos do Instituto de Artes da UNESP e da SP Escola de Teatro. Tem como fundamento para cena a pesquisa associada a diversos procedimentos de investigação e criação dramatúrgica por meio da escrita de cartas e da relação com o espaço urbano. Seu primeiro espetáculo, Barro Homem Barra Mulher - com texto de Regi Ferreira - trouxe para a cena figuras arquetípicas que põem em discussão as representações sociais sobre o feminino. A peça foi produzida com recursos arrecadados em uma plataforma de financiamento coletivo, estreou no Espaço Cultural A Próxima Companhia, ficando em temporada entre outubro e novembro de 2017. O espetáculo também participou da terceira edição do Festival Pé Dentro, Pé Fora na Oficina Cultural Oswald de Andrade à convite da Cia. Livre em 2017.


Logo depois, integrou a 2ª Edição do evento O Humano e O Urbano - Mulheres e (R)existências, em 2018. A obra foi selecionada, também, para fazer parte da programação do Teatro iNBOx Cultural, no mês de agosto de 2018, onde realizou sua segunda temporada. No mesmo ano, o espetáculo ainda participou da 33ª Edição do Festivale, tradicional festival teatral de São José dos Campos, recebendo crítica positiva e grande público.


Atualmente, o Núcleo Barro 3 também possui dois outros projetos em andamento. Um deles é o cartas a ele., que tem como mote disparador a questão: "O que você diria a um fascista?". O trabalho busca reunir, por meio de uma linguagem híbrida entre o teatro e o audiovisual, elementos de nosso cotidiano que possam estar em diálogo com tendências autoritárias no atual cenário brasileiro e mundial. A pesquisa conta com a colaboração criativa de diversos artistas convidados e foi contemplada pelo edital ProAC Expresso Lei Aldir Blanc Nº36 (2020) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

O outro trabalho é Aos professores, aos miseráveis, a Paulo, adeus, que fabula a travessia de uma professora por um Brasil áspero e distópico projetado em 2030. O processo, que também é tramado por ações pedagógicas, derivas e performances, põe em discussão as relações entre educação e democracia em diferentes temporalidades. Esse trabalho foi contemplado pelo 17º edital do Programa de Valorização a Iniciativas Culturais - Modalidade 2 (2020) da Secretaria de Cultura do Município de São Paulo e pelo edital ProAC Expresso Lei Aldir Blanc Nº36 (2020) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

Para serviço


Aos Professores ONLINE - Dias 28, 29 e 30 de abril, às 12 h e às 20 h. Episódios - Bilhete ao Vazio; Bilhete à Ignorância; e Bilhete à Fortaleza. Exibição pelo Instagram e YouTube do Núcleo Barro 3.

Ficha técnica


Direção: Lucas França

Roteiro: Gustavo Braunstein

Atuação: Rosana Pimenta

Produção: Douglas Scaramussa

Realização: Núcleo Barro 3